Skip to content

O que a Bíblia diz sobre adolescentes?

23/02/2012

Sabe quando você começa a ler a sinopse de um livro por acaso e fica tão extremamente envolvido que quer ter o livro em mãos no mesmo segundo? Foi assim comigo e com o livro “Do Hard Things” (Faça coisas difíceis), dos gêmeos Alex e Brett Harris. Eles são irmãos mais novos de Joshua Harris, autor do best-seller “Eu Disse Adeus ao Namoro” (que eu nunca li).

Os gêmeos são os autores do blog adolescente cristão mais lido do mundo, chamado The Rebelution (uma junção divertida das palavras Rebelião e Revolução). Conheci o blog, e consequentemente o livro, através do blog IPródigo que fez um post com uma série de vídeos dos meninos. A ideia do livro é basicamente uma rebelião dos adolescentes contra as expectativas baixas que a nossa sociedade têm sobre eles (nós). É um daqueles livros que muda sua vida e te faz pensar e repensar. E ao mesmo tempo tem uma linguagem tão simples que é fácil de devorar!

Quando lançaram o livro os gêmeos tinham a minha idade, 19 anos, e hoje estão com 23, um é noivo e o outro casado e já tem uma filhinha. Eu comentei no Twitter que queria muito que alguma editora brasileira descobrisse o livro e o publicasse em português até que eu descobri (graças ao irmão Maurício Zagári do blog Apenas) que já existe em português! Se quiserem saber mais, ele é vendido pela Editora Mundo Cristão pelo (infeliz) título “Radicalize“.

Mas, enfim, o título desse post é o título de um trecho do livro que vou colocar aqui pra vocês (com uma tradução minha, então pode ser que se você ler a versão em português esteja um pouco diferente :]).

_______________________

O que a Bíblia diz sobre adolescentes?

Você deve se perguntar o que a Bíblia tem a dizer sobre a adolescência. A resposta é simples.

Nada.

Você não encontrará as palavras adolescente ou adolescência em nenhum lugar das Escrituras. E você não vai achar nenhuma referência de um período de tempo entre a infância e a fase adulta. Mas, você vai achar o apóstolo Paulo escrevendo em I Coríntios 13:11, “Quando eu era um menino, falava como menino, sentia como menino, pensava como menino; quando cheguei a ser homem, desisti das coisas próprias de menino.”

Perceba o que ele não diz. Ele não diz, “Quando eu era um menino, falava como menino, sentia como menino, pensava como menino. Mas quando me tornei um adolescente, parecia um homem, soava como homem, mas ainda agia como um menino.” Não! Ele disse, “Eu me tornei um homem, e desisti das coisas próprias de menino.”

Em outra carta, Paulo escreveu a um jovem pastor em treinamento: “Ninguém despreze a tua mocidade; pelo contrário, torna-te padrão dos fiéis, na palavra, no procedimento, no amor, na fé, na pureza” (I Timóteo 4:12).

O que nós vemos aqui é uma evidência clara de que Deus não tem duas normas: uma para jovens adultos e outra para adultos. Ele tem expectativas altas para ambos. Enquanto alguns olham com desprezo os jovens adultos, Deus nos chama para sermos padrão, exemplos. Onde nossa cultura tem expectativas baixas, Deus espera grandes coisas.

Então, sobre quais expectativas estamos baseando nossas vidas? A Bíblia diz, “E não vos conformeis com esse século” (Romanos 12:2). Quando nós permitimos que expectativas culturais se tornem nossas bases, nós nos permitimos amoldar, deixando pouco espaço para um caráter cristão.

(…) Nós vivemos em uma cultura que quer nos dizer como agir, como pensar, como parecer, e como falar. Ela nos diz o que usar, o que comprar, e onde comprar. Ela nos diz o que sonhar, o que considerar valioso, pelo que vale a pena viver – e não é Cristo. Citando uma propaganda antiga da Pepsi dos anos 90, “Seja jovem. Divirta-se. Beba Pepsi.” A Nike nos diz, “Apenas faça isso” (Just do it). A Sprite nos diz, “Obedeça sua sede.” E quem nunca ouviu aquela piada que 92 por cento dos adolescentes estariam mortos se a Hollister (marca de roupas americana) dissesse que respirar não é “maneiro”?

Onde as expectativas são altas, nós tendemos a crescer para alcançá-las. Onde as expectativas são baixas, nós tendemos a cair para alcançá-las. E isso é exatamente o oposto do que somos chamados a fazer em I Coríntios 14:20: “Irmãos, não sejais meninos no juízo; na malícia, sim, sede crianças; quanto ao juízo, sede homens amadurecidos.” Nossa cultura diz, “Seja maduro na malícia, mas em seus pensamentos e atitudes, seja criança.”

Claro, às vezes nós gostamos de poder fazer coisas que nós não devíamos fazer – ou fazer menos do que o nosso melhor. Nós usamos desculpas para nossas escolhas dizendo que isso é o que os adolescentes devem supostamente fazer ou pensar. Bem, eu não sou tão ruim quanto algumas pessoas que eu conheço. Nós vamos com a multidão. Nós fazemos o fácil: nós certamente não fazemos coisas difíceis.

A consequência? Nós desperdiçamos alguns dos nossos melhores anos e nunca alcançamos totalmente o potencial que Deus nos deu. Nós nunca fazemos coisas que nos fariam crescer, fortalecer. Nós acabamos fracos e despreparados para o futuro frutífero que poderíamos ter. Nós gostamos da liberdade que as expectativas baixas nos dão, mas na verdade estamos sendo “roubados”.

Desperdiçar nossos anos de adolescência não é o que a maioria de nós realmente quer. E também não é o que Deus quer pra nós.

[Retirado das páginas 44-46 do livro Do Hard Things, escrito por Alex e Brett Harris, publicado pela Multnomath Books, em 2008]

About these ads
6 Comentários leave one →
  1. 24/02/2012 11:56

    Vi você falando do livro no twitter e fui logo procurar. Parece ser muito bom, obrigada pela dica :)

  2. Isamara permalink
    01/03/2012 18:41

    me vi nesse post….
    você deixa eu colocar no meu blog??
    assim… vou falar que foi você quem escreveu…
    kkkk’ ^^

    • 01/03/2012 19:47

      Oi Isamara! Glória a Deus por usar esse texto pra falar com você.
      Claro que pode compartilhar, mas lembre-se de dizer que quem escreveu foram Alex e Brett Harris e não eu.
      Um grande beijo!

  3. COSTA permalink
    18/08/2012 11:51

    Na bíblia tem escrito a palavra adolescência. Leia Eclesiastes 11.10

    • 22/12/2012 23:32

      Na verdade a tradução da NVI estaria mais correta do hebraico. O judeu considera a passagem da criança para adulto no Bar Mitzvah, aos 13 (!) anos de idade. A adolescência é um conceito absurdamente recente: do século XX. A própria juventude como nós a conhecemos hoje é completamente diferente do que jamais existiu em outras épocas e culturas. Há quem diga que foram os Beatles quem inventaram a juventude… ou seja, essa ideia de aproveitar a vida, descobrir o mundo e não ter responsabilidades – o que não é exatamente verdade, mas a difundiram, sim.
      O mundo não pára de criar conceitos para abrigar seus desejos pecaminosos: não é rebelde, é só um adolescente. Não é libertino: é apenas jovem. E já tem os pré-adolescentes, e os jovens que ficam em casa dependendo dos pais com mais de trinta anos… Enfim. O texto está corretíssimo.

Todos os comentários são bem vindos. Gostamos muito de ler sua opinião, pedido de oração, testemunho, sugestão. Responderemos o mais rápido possível. Com amor, Fran e Carol.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 129 outros seguidores